Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

Quem sou eu

A Virada (Tudo Mais Uma Vez)

Eu não estou tendo paciência. Quero saber logo, ansiosamente, quando vamos nos encontrar no meio. Naquele meio onde sabemos mutuamente que o olhar vale mais do que as palavras, no meio onde não precisamos de mais nada além de nós dois.

Preciso saber se você está onde eu estou, se está seguindo pelo caminho que eu sigo. Nada de jogos, palavras duras, estratégias... É estar ou deixar. Eu estou; aonde você está?

Tenho medo do tempo, quanto mais ele passa, eu sei que está ficando tarde demais para seguirmos. E agora que está começando tudo de novo, é um novo medo pelo recomeço. Uma nova esperança. Uma nova probabilidade em meio termo. Uma porcentagem desconhecida. Um "tudo-futuro" incerto.

E se sentir ciúmes é o começo de gostar, eu estou totalmente caída pelos cantos, pensando...

Quando o coração não souber continuar...

Você é só mais um bebê tentando fazer cara de malvado. Um falso rebelde com um grande coração. Tudo que você nega são verdades puras.
Inocência disfarçada de desafio. O mal comportamento forçado pela companhia.
Mas aonde vive o meu amor? Na rebeldia ou na inocência?
Pode ser que o seu ser se perca e a única luz que poderia lhe salvar, está agora na negação, ou perdida em algum lugar, dentro de você. Mas tenho medo de não estar mais presente para lhe ajudar a achá-la; afinal de contas, eu não sou aquela pessoa que estará presente facilmente, quando/depois, com a porta batida na cara.
Não espere ser tarde demais... Não espere o momento de eu virar as costas. Eu ainda estou aqui e não quero chegar no momento "tarde demais".
Muito fácil tornar uma pessoa sua; difícil é começar a falar, viver no silêncio.
Não iluda aquela que já é sua. Liberte-a. Liberte-me!

31.07.2011

Ninguém viu o Meu Lado da História

Se eu me cortar, não vou sentir.
Se eu sangrar, não vai doer.
Se eu me olhar no espelho só verei a imagem de uma velha conhecida. Porque eu sinto que eu não sou mais eu. Meu corpo virou uma casca que prende nas profundezas do meu coração uma alma frágil e machucada.
Eu não quero mais chorar.
Eu não quero mais sentir.
A dor acabou com o meu ser. Tudo que eu sinto agora é o frio do concreto que virou o meu ser.
O mundo não é cinza, mas deixou de ser vivo para mim há muito tempo atrás.
Já faz quanto tempo que eu me perdi?
Quem é essa que habita o mundo em uma existência em vão?
Tudo irá passar e nada acontecerá? Será sempre assim ou acontecerá alguma coisa?
A neblina do futuro me assusta. Eu tenho medo; mas sei o que acontecerá, o que nunca irá deixar de mudar.
Velhos hábitos nunca mudam!

Pensando...

Eu penso todas as vezes sem nada descobrir; deixo de pensar, mergulho no silêncio, e eis que a verdade é me revelada.
(Einstein)
---------------------------------------------------------------------
Nada é demasiado difícil para a juventude.
(Sócrates)