Create your own banner at mybannermaker.com!
Copy this code to your website to display this banner!

Quem sou eu

Nada, Nunca, É o que parece ser! (09.06.2011)


Já faz tempo. Muito tempo, que no passado, todos me olhavam sabendo. Olhavam-nos sabendo. Era como se eu conseguisse ouvir os sussurros em suas mentes: “Dois idiotas! Porque não falam logo? O que estão esperando?”. A cada olhar uma sentença!

Você notou também, é claro. Mas foi insegurança que te prendeu? Pois a mim, sim!
Nada, nunca, nenhum movimento ou ação o denunciou para a minha certeza. Você era uma constante incógnita. Será que eu também era para você?

Sei que minhas ações afastariam qualquer um, mas eu nunca soube aproximar. É um instinto de defesa devastador e humilhante.

Hoje me lembro dos melhores momentos, como se essa história tivesse acontecido há dezenas de anos, ou em um ridículo filme de frustração amorosa.

Não aguento pensar que você se cansou, que você pensa em outra; já que eu me iludi tanto. Afirmo decididamente que não me importo de não estar perto de você, em não te ver mais; prometo não gostar mais de você, de que não sinto mais nada, mas a minha própria mente me trai. Passam os dias, e a cada segundo me flagro pensando em você, em porque mais uma vez as coisas não foram como eu desejei.

Espero que algum dia seus olhos se concentrem nesse texto, e saiba realmente o que se passou “aqui”. Eu tento me desprender das lembranças e dos meus sentimentos por você. Assim, um dia, quando você aparecer com outra garota, eu poderei seguir...

Agora desejo que você encontre a garota perfeita que não irá lhe fazer pensar duas vezes antes de declarar o seu amor por ela. Que se agarre, se prenda a ela; e que ela lhe corresponda. Quero que você seja muito feliz com ela. Alguém tem que sair ileso dessa história. E por mais que, só de pensar nessa cena eu me magoe, você precisa ser feliz!

Não foi dessa vez que eu encontrei a minha felicidade; e a cada dia luto para acreditar de que não era pra ser. Eu tenho de me conformar.

“A música toca, o som é triste, melódico. O cantor canta com convicção ‘Eu não vou te perder’ e eu sei que eu não preciso prestar tanta atenção, já que mesmo você estando com outra, na vida ou na memória, eu não irei te perder; afinal de contas, quem que perde algo (alguém) que nunca se teve!”

OBS: Sadomasoquismo pensar que você pode estar ouvindo essa música (já que, além de mim, eu sei que você gosta da música) e estar pensando ‘nela’; aquela que você ama?!

0 Comentários:

Postar um comentário